MINAS TREND e o verão 2018| Parte 2

14 de abril de 2017 | Looks

Leitores e leitoras lindas, dividi o post em duas partes para mostrar o verão 2018 apresentado no Minas Trend e hoje trouxe os desfiles do 2º dia e mais tendências da primavera-verão. Vamos la acompanhar mais um pouco?

Lucas Magalhães

A desconstrução da vestimenta masculina foi o ponto de partida das criações de Lucas Magalhães para a primavera/verão 2018. Uma mistura ousada de texturas e estampas da tradicional alfaiataria masculina, como pied de poule, xadrez, príncipe de galles e risca de giz, traduzidas e transformadas para a silhueta feminina criaram um efeito contemporâneo e elegante, reforçado pelos comprimentos mídi e aplicações. Nas cores, iniciou com o preto e branco, depois revelou cores primárias como vermelho, azul e amarelo, vistas também nas semanas de moda internacional. Além do mix de estampas e texturas, as sobreposições complementam o clima de ousadia e despojamento dos looks desfilados, complementados por rasteiras com cara de chinelo e bolsas tiracolo. Lucas cria a imagem de uma mulher relax, que, ao ser analisada em profundidade está, na realidade, impecável em cada detalhe.

Foto: ZE TAKAHASHI / FOTOSITE

Bob Store

Bem comercial e estabelecida no mercado, a Bobstore apresentou, no entanto, já o outono/inverno 2017, que está nas lojas. O preto e o branco (com suas variações em off White) e os tons neutros, assim bem simples, foram os tons do desfile da BobStore. Em looks confortáveis, mas extremamente femininos, a grife explorou as texturas (como couro, seda, pele fake e lã) e os grafismos.Chamaram a atenção os tricôs delicados em suéteres que dão conforto só de olhar e a minissaia. Juntas essas duas peças formam um look jovem e charmoso.  Além disso, detalhes em pele preta deram bossa a algumas produções, enrolados em pontos estratégicos. A alfaiataria da marca é outro ponto alto, que nesta coleção apareceu sobretudo nas camisas e nas calças flare.

Foto: ZE TAKAHASHI / FOTOSITE

Unity 7

Com uma plateia lotada, a marca recente, especializada em moda festa para jovens, expositora veterana. Uma coleção recheada de vestidos longos em tons bem clarinhos, com cores de sorvete. Uma reunião de princesas.
A moda festa proposta pela grife não tem bordados ou transparências, mas tecidos nobres como seda ou cetim recortados com fendas estratégicas criando uma sensualidade que acontece num jogo de esconde e revela. As peças ganham ainda mais graça com babados e assimetrias. Fechando a apresentação, o clássico longo branco remetendo à noiva dos finais de desfiles de Alta Costura, mas numa versão contemporânea: iluminada por led.

Foto: ZE TAKAHASHI / FOTOSITE

Letícia Manzan 

Com um toque oriental reforçado pelo styling, a Manzan fez sua estreia na passarela do Minas Trend primavera/verão 2018 em tons pastel. Azuis, rosas e amarelos lavados ganharam um ar mais adulto graças às transparências, decotes e muitos, mas muitos detalhes em aplicações e bordados manuais preciosos.
A marca de moda festa, já consagrada entre celebridades, e especialista em bordados luxuosos, não deixou a desejar levando sua expertise para o Minas Trend, porém de uma maneira mais suave e usável no dia a dia. Muitas sobreposições e comprimentos mídi para garantir o despojamento dos looks, complementados por sandália abotinada na mesma cor, criando uma sequência de produções monocromáticas. Na passarela, a grife mostrou uma moda festa para as moderninhas que não querem se parecer com as outras nas celebrações. Destaque para os quimonos, ótimas opções para quem quiser ousar em alguma comemoração.

Foto: ZE TAKAHASHI / FOTOSITE

Victor Dzenk

Diversidade deu o tom da apresentação do veterano Victor Dzenk, com direito a show de sua amiga e cliente Preta Gil. Preta ainda apresentou sua coleção cápsula em parceria com estilista, feita para mulheres plus size. “Vai ter GG na passarela”, gritou a cantora, que defendeu a democratização da moda e ainda cantou no fim do desfile.
A primavera/verão 2018 da passarela de Dzenk se mostrou colorida e muito feminina, marcas registradas do estilista. Entre as estampas, um novo camuflado estilizado. A feminilidade também se revelou nos babados, bordados ricos aplicados sobre estamparia e renda, rendas e muitas aplicações, elementos que criam movimento nas peças quando vestidas. Nesta temporada, a silhueta do estilista é anos 80, com direito a corsets, lingerie à mostra, ombros em evidência, tecido brilhante tipo lamê e conjuntinhos de saia e blusa ou vestido e jaqueta com a mesma estampa. Dzenk (e Preta), no entanto, não abandonaram a razão pela qual o designer tornou-se consagrado: os vestidos fluidos, estampados e cheios de movimento. A cara da mulher brasileira, de todos os tamanhos.

Verão 2018

Foto: ZE TAKAHASHI / FOTOSITE

Fonte: Site Minas trend |  www.lilianpacce.com.br

Postagens Relacionadas

@blogkarinaxavier no Instagram